Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG estão em alerta diante de crise hídrica - Expresso FM 100,1


No comando: EXPRESSO DA MADRUGADA

Das 00:00 às 05:00

No comando: EXPRESSO RURAL

Das 05:00 às 07:00

No comando: SERTÃO EM FESTA

Das 05:00 às 10:00

No comando: DOMINGÃO SERTANEJO

Das 06:00 às 10:00

No comando: JORNAL DA ITATIAIA

Das 07:00 às 07:45

No comando: SHOW DA MANHÃ

Das 08:00 às 10:00

No comando: EXPERIÊNCIA DE DEUS

Das 10:00 às 11:00

No comando: TÚNEL DO TEMPO

Das 10:00 às 14:00

No comando: RITMOS DA EXPRESSO

Das 11:00 às 12:00

No comando: PASSANDO A LIMPO

Das 11:00 às 13:00

No comando: REPÓRTER EXPRESSO

Das 12:00 às 13:00

No comando: TOP MAIS

Das 13:00 às 16:00

No comando: PROGRAMAS GOSPEL

Das 14:00 às 16:00

No comando: TARDE NOSSA

Das 14:00 às 16:00

No comando: BAILÃO DA EXPRESSO

Das 16:00 às 19:00

No comando: AO POR DO SOL

Das 16:00 às 19:00

No comando: DEIXA ROLAR

Das 18:30 às 00:00

No comando: VOZ DO BRASIL

Das 19:00 às 20:00

No comando: MUSIC EXPRESS

Das 19:00 às 21:00

No comando: EXPRESSO NOTURNO

Das 20:00 às 22:00

No comando: NA PISTA

Das 21:00 às 00:00

No comando: SOFT NIGHT

Das 22:00 às 00:00

Cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG estão em alerta diante de crise hídrica

estiagem, que dura cerca de três meses, e o aumento do consumo de água provocado pelas temperaturas elevadas têm despertado a preocupação com o abastecimento nas principais cidades do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas.

Depois de Uberlândia criar um Comitê Especial de Crise e Uberaba anunciar medidas emergenciais, Araguari, Patos de Minas e Paracatu (Noroeste do Estado) se preparam para enfrentar a situação.

Em Araguari, alguns bairros registram a falta de água e o abastecimento começa a entrar no status de “crítico”. A informação é da Superintendência de Água e Esgoto (SAE), que alerta sobre a necessidade de a população fazer o uso consciente da água para evitar o desperdício.

O problema, segundo a autarquia, é que há menos água nos poços onde a SAE realiza a captação de água potável devido ao tempo seco, o que reduz o nível e diminui a vazão, prejudicando o abastecimento.

O superintendente do órgão, Andre Reis, explicou que devido à baixa quantidade de água nos poços, o bombeamento é reduzido e, com isso, é possível que a água chegue fraca, mais escura e até com areia em alguns casos.

Para explicar a situação à população, o prefeito de Araguari, Marcos Coelho (MDB), vai conceder uma coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (17).

Patos de Minas e Paracatu

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), responsável pelo abastecimento de água em Patos de Minas e Paracatu, informou que ainda não há risco de racionamento e o abastecimento está controlado nas duas cidades.

No entanto, alertou que o consumo deve ser dosado pela população. Segundo o gerente de apoio operacional da Copasa local, Renato Carvalho, o abastecimento está garantido nos dois municípios, que têm níveis aceitáveis nos reservatórios.

“Em Patos de Minas, realizamos algumas manutenções pontuais que causam interrupção, mas já preparamos equipamentos para aumentar a sucção de água nos poços. Em Paracatu, a população também pode ficar tranquila. Além do ribeirão, temos 12 poços artesianos. Mesmo assim, pedimos a população que modere o consumo para minimizar qualquer risco”.

Audiência

Uma audiência na Câmara Municipal de Paracatu vai ser realizada na próxima semana sobre as providências tomadas pelas secretarias municipais competentes para garantir o abastecimento de água no Município durante o período de seca (setembro/novembro). O objetivo é evitar a crise hídrica. Estarão presentes representantes da Copasa e do Poder Executivo.

Uberlândia

O risco de desabastecimento e possível racionamento de água em Uberlândia, resultado do longo período de estiagem na região, chamou atenção do Ministério Público Estadual (MPE).

Para discutir medidas sobre o consumo, que tem batido recorde na cidade, a Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor instaurou um comitê de crise com primeira reunião nesta terça-feira.

Possíveis protocolos de emergência, debates sobre medidas de economia em lava-jatos e alterações do uso da água em escolas e repartições públicas estão na pauta.

Nesta segunda-feira (16), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) convocou uma coletiva de imprensa para pedir ajuda da população no enfrentamento da “pior crise hídrica desde 2014 no município”, conforme a autarquia.

Deixe seu comentário:

CURTA NO FACE!

Equipe

Nossas Redes